8 de jun de 2009

Singing in the rain



Recentemente, eu estava na inauguração do Núcleo de Estudos Fiscais da Fundação Getúlio Vargas e escutei algo que chamou minha atenção. Num dos discursos de abertura, uma das maiores autoridades de Direito Tributário do país disse que, caso fosse possível, apenas colocaria, no seu Currículo Lattes, o nome de alguns dos seus alunos, pois nada o orgulhava mais do que saber que muitos deles são os que constroem a melhor doutrina jurídica brasileira hodierna. Nesta ocasião, me fiz as seguintes perguntas: quem eu colocaria como motivo de orgulho no meu Currículo Lattes? Que característica minha me faz sentir orgulho de ser quem sou ?


Não precisei de dois segundos para responder tais questões. A primeira resposta é bastante simples: sinto-me extremamente honrada por ter os amigos que tenho. Diante das coisas que escuto de vários conhecidos, devo mesmo me considerar alguém de extrema sorte, pois conheço pessoas da melhor qualidade e ostento a condição de amiga de boa parte delas. Ser aceita e amada por gente que admiro é algo que me permite uma grande felicidade e me livra de um terrível pessimismo que costuma rondar aqueles que são mais sensíveis. Sim, é claro que tive decepções, mas nenhuma foi capaz de diminuir o brilho das coisas boas que recebi destas pessoas tão queridas. Neste momento, alguns de vocês podem me perguntar: e os defeitos obscuros dos seus amigos? Você não tem medo deles? Como você lida com isso? Tal resposta é a mesma para o segundo questionamento do primeiro parágrafo: tenho a enorme virtude de gostar de muitas coisas sem pretender que estas sejam perfeitas, sei apreciar diferentes belezas.


Na minha lista de amigos para o currículo lattes, Jorge Santiago é um dos primeiros. E, há pouco tempo, num almoço, nós constatamos que não há nada melhor do que gostar de muitas coisas. Quando fui morar em São Paulo, alguns me diziam: como você terá coragem de viver numa cidade sem sol, numa cidade tão horrorosa? Eu apenas respondia: acho São Paulo linda. Gosto de observar a arquitetura dos prédios, adoro perceber a singularidade de cada pessoa que caminha pela Avenida Paulista. É óbvio que não tem o visual de Salvador, mas isso não transforma São Paulo numa cidade menos interessante.


O fato de eu gostar de várias coisas me permite a grande possibilidade de ficar feliz sem depender de ninguém. Não deposito no outro a obrigação de me entreter. Sempre quando vejo uma fotografia bonita-um prédio bem construído-um quadro bacana-um filme interessante ou leio um texto bem escrito, sou tomada por um prazer único, ímpar. Me orgulho muito do fato de apreciar muitas coisas e ter essas diversas possibilidades de encantamento. Me orgulho muito de gostar deste blog e dos e-amigos que aqui conheci. Mas sou apenas uma e estou precisando de um tempo para viver novas coisas. Aprender a desenhar pessoas e vestidos, ver a exposição do Vic Muniz, ler os livros dos meus amigos, aprender mais sobre o Espiritismo e assistir todos os filmes do Bergman são as minhas prioridades deste período de férias. Já estou cantando e dançando por causa destes dias chuvosos de junho. Devo voltar no próximo mês. Isto se a saudade desta casa e de vocês não apertar.

14 comentários:

ricardo gessner disse...

as férias também são necessárias.
pelo visto a sua será interessante, :)

Viviane Costa disse...

Oh, pelo menos, vai voltar cheia de novidades com férias tão produtivas.
Aproveite bem e volte logo. Beijocas. :)

Nilson disse...

Me orgulho de ser da troupe do Vestígios!!! Boas férias, Renata!!! (E obrigado pelo carinho. Sei que é complicado, mas a sua presença em setembro seria muito legal!) Bjs.

maria guimarães sampaio disse...

com um texto bom assim... estás liberada para as férias. Cumpra-se!

Bernardo Guimarães disse...

desejo que as férias sejam felizes e,curtas (rs...pelo egoismo!)

aeronauta disse...

Vê se não demora, hein?
Te liguei hoje, não consegui falar. Estou curiosíssima!

Lidi disse...

Ótimas férias, Renata!
Um beijo.

Luli Facciolla disse...

Poxaaaaaaaaaaaa... Um mês?! rsrsrs

Bom... Ao menos divirta-se! E aproveite as férias!!!

Bom retorno também! Sentiremos sua falta!

Beijos e beijos

aeronauta disse...

Te liguei muitas vezes ontem, quando voltei da ioga, mas o telefone só trazia o sonzinho de ocupado...

Mirdad disse...

Assista Fellini.

Mariane disse...

O Compartilhando Leituras é um novo blog que está no ar. Faça uma visita quando puder e deixe seu comentário. Obrigada!!!

compartilhandoleituras.blogspot.com

Mariane disse...

Olá Renata,

Obrigada pelo comentário, sempre que puder compartilhe por lá. Tenha certeza que irei proporcionar muita novidade e boa literatura...rsrs
Grande abraço...

Chorik disse...

Desculpe, eu li direito? Férias de novo? rs Descanse bastante, aproveite, sem a obrigação de aproveitar. Bj

Mayrant Gallo disse...

Gostei muito do seu texto, Renata. A verdade é que a arte é múltipla, e o apreciador também deve ser. Abraço!