3 de jun de 2010

Minha prima, Maria


Passei o dia assim: escrevendo e apagando, tentando controlar, aceitar o imponderável. Falar não é a mesma coisa que escrever: tenho fugido de compromissos com a realidade. Imaginar não é o mesmo que saber. Apesar dos medos, volto e escrevo porque foi aqui que a conheci. Volto e escrevo porque não há melhor lugar para que eu possa lembrar de sua alegria. Na blogosfera, todos sabiam: ela tinha algo muito especial, todos os dias eram dias de Maria.

Maria possuía uma luz só dela, algo que se costuma chamar de carisma. Dona de uma generosidade enorme, trazia felicidade para os que a rodeavam. Algumas pessoas têm a sorte de encontrar boas pessoas no mundo virtual. Tirei na loteria: além dos grandes e-amigos, ganhei dois primos lindos.

Para minha prima Maria, só me resta agradecer. Muito obrigada pelos conselhos dados, pelas conversas no telefone, pelas risadas compartilhadas, por escutar meus sonhos e me fazer acreditar que eles são possíveis.
Para os meus e-amigos, fica o meu abraço apertado.
Para São José dos Raios, permanece a obrigação: olhai por todos nós. Mas, em especial e para sempre, pela minha prima Maria Sampaio.