16 de jun de 2009

Duas jóias num mesmo dia




Elas caminham de maneira serena, posso prever esboços de tímidos sorrisos. Ambas estão vestidas de forma impecável, são naturalmente chiques. As duas têm cabelos brancos muito bem tratados e possuem um tipo de elegância delicada, dessas que não incomodam ninguém. Sei que foram bem educadas e que são mulheres cultas. Fosse possível, eu teria me aproximado para ouvir suas conversas, acredito que elas possuem vozes suaves. Uma delas carrega pérolas verdadeiras no pescoço, suponho que seja jóia de família. Não consegui me encontrar com seus olhos, não li o livro definitivo de suas almas, pouco posso contar de suas vidas. Mesmo assim, aposto que estão próximas dos setenta anos e que não mais temem o medo da morte. Suas roupas escuras contrastam com o colorido da rua, mas isso não faz com que se destaquem, sejam percebidas. Creio que somente eu as notei. Poesia cotidiana, surpresa que me trouxe alegria. Duas mulheres idosas e elegantes. No último domingo, de mãos dadas em plena Parada Gay na Avenida Paulista.

22 comentários:

Bernardo Guimarães disse...

esta é a melhor observação que se pode fazer da parada!
só você.

Mirdad disse...

Felicidade eterna.

Mariane disse...

O Compartilhando Leituras está de visual novo. Faça uma visitinha, participe da enquete e dê o seu voto. Sua opinião é muito importante para sempre fazermos blogues com qualidade e conteúdo. Obrigadaaaaaa!!!

Abraços

Janaina Amado disse...

Lindo texto. E de onde é esta foto sensacional?

Renata Belmonte disse...

Jana,
Achei no Flickr. Ela é de um fotógrafo chamado Vladimir Rolov, e seu nome é "Die Omas über die Opas".
Bjs!

Viviane Costa disse...

Sei que vc desconfia de comentários assim, mas linda, linda, linda sua descrição.
Bjs. :)

Lidi disse...

"Não consegui me encontrar com seus olhos, não li o livro definitivo de suas almas [...]". No entanto, conseguiu captar a poesia daquele momento. Quer coisa mais bonita? Um beijo!

Carina Gabriele. disse...

Nossa.
Surpreendente o texto, o fato...
lindo!
E mais lindo ainda vc ter percebido isso :)

Beijos, Renata.

Marcus Gusmão disse...

Enquadramento, foco, cor, profundidade, movimento. Você fez um belo foto!

ricardo gessner disse...

poesia cotidiana nos proporciona momentos assim. surpreendentes.

e o melhor é que as pérolas verdadeiras sumiram no valor ainda maior dessas duas outras jóias.

muito bom!

e feliz Bloom´s Day! :)

bjos

aeronauta disse...

"Elegância delicada" me lembrou "deselegância discreta"...
Maneiras peculiares de observação.
Um abraço.

Andréia M. G. disse...

Que cena agradável você conseguiu pintar. Deve ser muito bom chegar a essa idade e se tornar uma senhorinha elegante. Elegância delicada, como sua escrita. Bjos!

karina rabinovitz disse...

que coisa linda essas mulheres.
mais ainda o seu olhar.

Maria Muadiê disse...

Poesia cotidiana,
é preciso que se tenha olhos de ver.
Adorei vc compartilhar a linda cena que viu.
Jana tem razão, que foto sensacional!
beijo

Maria Muadiê disse...

Poesia cotidiana,
é preciso que se tenha olhos de ver.
Adorei vc compartilhar a linda cena que viu.
Jana tem razão, que foto sensacional!
beijo

aeronauta disse...

Obrigada, Renata, pelo "abraço vivo": é muito importante pra mim. Bjos.

karina rabinovitz disse...

oi Renata,
ponte construída.
você lá, eu cá.
beijo.

Mônica Menezes disse...

Lindo exemplo de amor e de força.

Edu O. disse...

é preciso cuidado ao pisar neste solo dos Vestígios, a terra semeada e os sentimentos afloram. que lindo!!!!

obrigado pelo pequeno aviso

Renata Belmonte disse...

Quantos comentários lindos! Obrigada todos!
Bjs

Fragmentos disse...

Bonito isso!!!
Um recorte do cotidiano que não passou despercebido ao olhar sensível destes seres que julgo especiais: artistas!!!
Beijus!!!!

Nívia Maria Vasconcellos disse...

Lindo...