26 de fev de 2009

Os três presentes




Ela tem uma elegância natural. Pouco fala, pois não conhece as palavras e se envergonha disso. Mal sabe escrever o próprio nome. Minha mãe conta que, meses depois do meu nascimento, ela pediu demissão porque queria se casar. Na lua de mel, o "marido" furtou todo o dinheiro que ela tinha recebido. Voltou para o trabalho no dia seguinte. Apenas após muitos anos, teve coragem de revelar essa história.
Na última vez que estive em Salvador, fiquei doente. Era domingo, seu dia de trabalho na minha casa. Estávamos apenas as duas. Sem nada me perguntar, ela fez um milk shake e o trouxe junto com um balde de pipoca. Sussurrou: um pouco de açúcar faz qualquer doente melhorar.
Numa quarta-feira, dia da minha volta, Meca, minha eterna babá, muito enciumada, disse: Dete apareceu aqui hoje só para deixar isso para você. Diz ela que viu em Bocão que essa pomada cura qualquer dor. Veja se isso é possível!
É verdade, Dete. Sua doçura faz mesmo qualquer doente melhorar.

10 comentários:

Maria Muadiê disse...

Que lindo, Renata. Tenho cerrteza que a pomada de Dete cura tudo!

Renata, por que não fui convidada pro lançamento dos Vestígios?
beijo

Maria Muadiê disse...

Ai que bom! Eu estava triste, por isso acabei fazendo essa pergunta idiota.
Já estava arrependida de ter perguntado, estava vindo justamente pedir pra você deletar.
Ok, amiga, ando meio doida.
Um beijo

Chorik disse...

É sempre bom ter anjos perto da gente. E atenção e carinho curam muita coisa. Os médicos sabem bem disso, há pacientes que precisam apenas de uma boa conversa. No entanto,a medicina parece caminhar para a direção contrária, em que a máquina determina o remédio.

Maria Muadiê disse...

Estarei lá, com certeza.
bjo

Janaina Amado disse...

É tão bom ter perto essas pessoas que nos entendem e fazem carinho, não é? Beijo! O texto está ótimo.

Lidi disse...

Que lindo, Renata! É verdade, um pouco de doçura nesta vida nos faz um bem enorme! E, sem dúvida, a doçura de Dete é bem superior a de qualquer milk shake! Um beijo!

Bernardo Guimarães disse...

me faça um milquesheique de dete que eu bebo tudinho...

L. Rafael Nolli disse...

Olá, Renata! Essa pomada deve ser aquela tão falada panacéia universal procurada pelos alquimistas! Creio que faltou procurar em Salvador1 rS* Bacana o texto!
Abraços!

Nilson disse...

Bela maneira de falar com carinho dessas pessoas tão especiais que o cotidiano acaba escondendo. Fantásticos vestígios!

Renata Belmonte disse...

Obrigada!
Bjs para todos!

Ps: Nilson, você tem um blog tb?