24 de fev de 2009

Breve encontro de amores


Algumas pessoas têm uma beleza muito especial que nem mesmo o tempo tem a capacidade de mitigar. A Liv Ullmann é uma delas. Ando muito apaixonada pelo seu trabalho e, recentemente, vi na televisão uma entrevista na qual ela conta a seguinte história:

Eu estava nos Estados Unidos fazendo uma peça na Broadway e o Woody Allen me convidava de forma insistente para jantar. Eu sempre recusava, pois pensava que ele esava em busca de um encontro amoroso. Até o dia que ele revelou: Liv, será que você poderia me apresentar ao Bergman? Eu tenho esse sonho. Eu respondi: Farei o possível, Woody. Tempos depois, Ingmar foi ao Estados Unidos e eu perguntei se ele gostaria de jantar com o Woody Allen. Apesar de Ingmar não gostar de conhecer pessoas novas, prontamente, ele respondeu que sim. Na noite seguinte, jantamos todos juntos. Eu e a mulher de Ingmar não nos gostávamos muito e começamos uma conversa sobre almôndegas. Woody e Bergman ficaram todo o tempo em silêncio. Eles se olhavam com enorme admiração e permaneciam em silêncio. Como dois grandes gênios que eram, sabiam que as palavras poderiam diminuir a reverência que tinham um pelo outro. No caminho de volta para casa, Woody disse: Thank you, Liv. Minutos depois, Bergman me telefonou e falou: Tack, Liv.

Muito obrigada, Liv. Por me contar, durante meu último almoço, essa história tão bonita.

8 comentários:

Mayrant Gallo disse...

Já conhecia essa história, que virou lenda... Liv Ullmann é e sempre será uma das maiores! Uma excelente postagem.

Chorik disse...

Sabia que tinha te visto em algum lugar!

Janaina Amado disse...

Uma história comovente.

Bernardo Guimarães disse...

esta é a história mais provável que poderia acontecer entre estas pessoas geniais.

Anônimo disse...

Faz tempo que não choro tanto. Obrigado Liv, Obrigado Rê.
Beijos para todos.
Thanx! Sou Lindo.

Herculano Neto disse...

A influência da obra de Bergman na do Sr. Allen é evidente, embora este último seja injustamente mais conhecido por suas comédias (assim como Hitchcock como mestre do suspense). Basta ver películas como "Maridos e Esposas", "Neblinas e sombras", "Interiores", entre outras.

aeronauta disse...

Bonito relato.

P.S.: Infelizmente, Renata, 16 e 17são meio complicados. Mas farei o possível para ir.

Chorik disse...

Falo de semelhanças entre vocês, físicas e intelectuais, com vantagem procê, lógico...rs
Bj e o café é pra Sampa ou Salvador? rs