1 de mar de 2009

Quase vinte e sete


Quando eu era criança, tinha o sonho de ter um cachorro. Mas a resistência familiar era grande. Minha babá dizia que, quando o cachorro entrasse lá em casa, ela iria embora na mesma hora. Minha mãe ressaltava que um animal dava muito trabalho, que eu não iria cuidar direito. Meu pai apenas prometia: Quando você completar dez anos, terá uma grande surpresa... Tenho quase vinte e sete e até hoje estou esperando a tal supresa.

Pois então. Juliana, minha cunhada, tem um irmão de dois anos. E nós todos somos muito apaixonados por ele. Por "todos", entendam: eu, meu marido, meu irmão, meu pai, minha mãe e minha babá. E, sim, quando ele nos visita é uma verdadeira festa. Parecemos uns idiotas, achamos graça em tudo que ele faz, ficamos comentando sobre ele com as pessoas que nos telefonam... Enfim, entramos naquela categoria de pessoas chatas que passam seus dias comentando "a genialidade do filho de sete meses".

Aquele era um dia de sábado. E Juliana tinha prometido levar Juninho para nos visitar. Estávamos todos eufóricos até ela aparecer sozinha. Eis que minha mãe, um tanto ansiosa, perguntou:

- Onde está Juninho?

Juliana respondeu:

- Foi para a casa de Laís, namorada de meu irmão. Ela comprou um cachorro e ele está encantado, quer ir para lá toda hora.

Senhores e senhoras leitores deste blog. Eu juro que vi. Juro mesmo. No olhar de minha mãe, surgiu um brilho um tanto diabólico. E eu escutei seu pensamento silencioso: Hum, acho que deveríamos comprar um cachorro...

Ela nem precisou dizer nada. Porque eu, imediatamente, me posicionei:

-Ah!!! Quando eu era pequena, você nem queria pensar no assunto! Agora, só porque Juninho gosta, você já está cogitando a idéia! Isso é um desaforo! Eu nem moro mais aqui!

Sim, é verdade, senhores. Eu tenho quase vinte e sete anos. Mas, às vezes, ainda sou bastante criança.


5 comentários:

Luli Facciolla disse...

Ainda bem que ninguém COMPROU um cão!
Se ainda cogitarem, perfiram ADOTAR um! Lá no meu blog tem um link de adoção de cães e gatos abandonados... Se puderem, dêem preferencia para os que estão precisando TANTO de um lar com carinho e cuidados!
A turma de 4 patas agradece imensamemte!
E eu também!

Beijos e beijos

maria guimarães sampaio disse...

Renata
tive cachorro da infância até a faculdade. Quando casei... dancei. Depoooois, voltei a ter. E está na cara, está no blog. Não vivo sem um(a) adorado(a) cãosinho.
Beijos Maria
--------
PS: vocês meus e-amigos não esperem muita coisa da véia ao vivo e a cores que a véia é tímidis!

Chorik disse...

Faz birra mesmo Renata! Toda criança (inclusive as de 27) merece um cachorro, ainda mais prometido! Agora que dão trabalho, aff, dão muito! E Maria tímida? Alguém acredita nisso, inda mais ao lado de Bernardo? Eu não!

Bernardo Guimarães disse...

parece que estou vendo: de bico e batendo o pé! merece.
ôba! março chegou!
viva nóis!

Personagem Principal disse...

Hahahahahaha, me identifiquei horrores. Sou louca por cachorros e tb me confundo com uma menininha de 5 anos. Quanto a Juninho, esse menino já é uma celebridade-mirim. Morro de rir com as histórias! Deve ser um fofo!
Bjs e sds.