2 de out de 2008

O mundo não é de quem fica parado?

9 comentários:

Personagem Principal disse...

É por essas coisas, dentre outras, que me identifiquei com vc desde o primeiro contato. Por não precisar de uma mecha rosa no cabelo, mas ainda assim ansiar por experimentos, novidades, "ser muitas e tantas ao mesmo tempo". Sou mesmo sua companheira na loucura.

Excelente texto! Providencial.

Bjs e sds.

Bernardo Guimarães disse...

Pois eu a contrataria exatamente pela mecha rosa nos cabelos.

estranhamentos.zip.net disse...

Eu, que amo os estranhos, os estranhamentos, as estranhezas, também a contrataria pela mecha cor de rosa nos cabelos. Lindíssimo o seu texto. Beijos e obrigada. M.

José Ricardo da Hora Vidal disse...

Sinceramente, contrataria uma advogada com mecha rosa sim. Por que não? Diria que uam advogada assim é decidida, inteligente e firme na suas defesas... Depois, Combinaria bem com escritora e advogada a mecha rosa... hehehehe

Quanto ao restante do post, eu concordo contigo: o importante é não ter medo de ser livre, poder mudar os caminhos, testar todas as possibiliades... Senti isto na pele, quando larguei meu curso de jornalismo na UFBA para estudar Letras/inglês na UNEB. E dentro da minha sala de aula, ser um dos poucos voltou-se mais para o estudo da literatura do que para o ensino da língua inglesa... O problema que, para seguir nossos caminhos com liberdade, é preciso ter muita coragem e uma pele bem grossa para aguentarmos a censura alheia - que doe, mesmo quando ngamos que ela nos pegue em cheio.

aeronauta disse...

Gosto muito de seus textos confessionais. Gostei demais desse. Também estou com saudade! Vou te escrever!
Bjos.

Richard disse...

Querida Charlotte,

Aqui faz muito frio. As minas de carvão estão mais neste outuno...

Receio que não chegarei a tempo pro natal.

Com afeto,

Richard

Maurício de Almeida disse...

ei, postei isto aqui no meu blog tem algum tempo: http://www.youtube.com/watch?v=EwM2n-kkjHI#

maria guimarães sampaio disse...

Essamenina Renata com sobrenome da terra onde nasceu minha mãe que adorava pintar os cabelos de todas as cores nos 6o como você gostou anteontem. Valeu Renata! um beijo de Maria

Ana M M Souza disse...

Acabei de descobrir seu blog e fiquei surpresa com as semelhanças entre nós.

Eu também tenho personalidade forte e por ter sido criada numa família muito conservadora, sempre fui taxada como ovelha negra da família. Assim como você, também adoro ficar sozinha às vezes, perdida em meus próprios pensamentos e "viagens". Escrevo desde os 11 anos de idade e é algo que faço com total entusiasmo! Para completar, estou no nono período de Direito. (risos)

Certamente lhe visitarei mais vezes! Gostei muito do post, você tem toda razão, julgar as pessoas pela aparência é sinal de pura ignorância... E respondendo a sua pergunta, contrataria você pelo seu talento, definitivamente. A mecha rosa dá um "quê" a mais! rs...

Parabéns! Um beijo!