25 de out de 2008

Como Femininamente se tornou um livro raro


Há algum tempo, descobri que apenas tenho cinco exemplares do Femininamente. E isso se deve, em parte, ao fato de que tenho uma legião de leitoras bonitas e jovens. Sim, queridos, as afirmações anteriores podem induzir à falsa idéia de que faço muito sucesso e que ganhei dinheiro com meu livro. Mas, não, eu garanto: não foi nada disso.

Deixem-me contar essa história.

Quando fui premiada pela Braskem, recebi trezentos exemplares do Femininamente e os coloquei no depósito lá de casa. Tudo bem. Durante os meses (e anos!) seguintes à publicação do livro, recebi e-mails muito bonitos sobre ele, em certas situações, fui tratada com extrema distinção por garotas que nunca havia conhecido. Devo ressaltar que ficava muito surpresa com isso, pois essas minhas leitoras eram muito novinhas e não pertenciam à área de Letras. Constantemente, eu pensava: de fato, essas matérias que a imprensa faz comigo têm dado resultado. A Casa de Palavras (minha editora) deve estar vendendo um monte de livros.

Grande engano. Pois bem. Vamos à verdade:

Noite. Estou em casa, na sala de televisão. Vejo meu irmão todo perfumado saindo do seu quarto. Constato: vai se encontrar com alguma mulher. Ele me diz adeus e segue na direção da porta. Mas, de repente, percebo: ele leva algo familiar nas mãos.
- Ricardo, o que significa isso?

Ele, muito cara de pau: - Isso o quê?

- Esse Femininamente que está nas suas mãos!

Pois foi aí que descobri a origem das minhas leitoras novinhas e bonitas. Para fazer um tipo, ele furtava meus livros do depósito e dava para as meninas de presente! E sabe o que é pior? Sua tática sempre funcionava!

No depósito, poucos eram os Femininamente. Hoje, meu irmão tem uma namorada muito legal, adoro minha cunhada. E, outro dia, ela me dise: Rê, sabia que não tenho nada seu? Foi a partir disso que compreendi duas coisas. Sim, meu irmão está verdadeiramente apaixonado. E coitado do meu próximo livro. Perdeu seu melhor divulgador.

11 comentários:

Gerana Damulakis disse...

Coincidência, também escrevo sobre meu irmão hoje. Estamos em sintonia. Gostei do texto, divertido!

Bernardo Guimarães disse...

Prima:
Não brigue com seu irmão; é um garanhão mas o faz divulgando cultura. Vou mandar meu filho ler seu blog hoje!he...he...

Personagem Principal disse...

Registre-se que, muito embora eu seja muito amiga de seu santo irmão e tenha te enviado alguns emails, qdo nem te conhecia, não participei dessa patifaria. Os dois exemplares que tenho comprei na Bienal.

*Roxa de ciúmes*

Maria Muadiê disse...

;)

Jana disse...

Rararara.
Grande história.
Com um irmão assim, prá que assessoria de imprensa?

Beijo
:)

Janaina Amado disse...

Renata, achei esta história muito divertida! Beijo.

Ricardo Thadeu disse...

Muito legal.
E não precisa se preocupar, as sementes cultivadas pelo meu chara devem ter dado alguns frutos e, certamente, algumas leitoras novinhas e bonitinhas comprarão seu próximo lançamento.

Até.

fernanda disse...

HAHAHAHhahahahaha Reni!!!!to sempre lendo o blog daqui da espanha! ja estou escrevendo seu email (tenho demorado pq quero escrever algo legal,como vc merece) e devo salientar (assim como Vivz) que os meus exemplares me foram dados por vc, com dedicatória de tudo!!!!!!
Esse pig é um descarado!hahahahahaha
Milhões de beijos
nanda

Pedro disse...

Ô Bel, tô solteiro... me arruma esses 5 que sobraram? :P
Bjo!

Palatus disse...

Ulalá!!! Ainda bem que tenho um Femininamente, graças a gentileza da autora! Já emprestei, tomei de volta, emprestei novamente, li com alunos, falei dele no ponto de ônibus, na faculdade...pros amigos, pras amigas...Quando querem um, eu digo: "é livro raro, não se acha mais por aí, aguardem a próxima edicação"...ah, se fosse solteiro, Femininamente teria me rendido boas cantadas.
Abraço, Renata, apaLece no Palatus!

Luli =) disse...

Hahahahahaha
Olha eu já estou comprometida, mas se ainda tiver um desses 5 aí, pode mandar,viu?

Brincadeira!!

Mas não acho nas livrarias.. =(

Adorei o texto!!
um beijo!