17 de nov de 2008

Da nossa poesia de cada dia


Sem qualquer motivo, acordei estupidamente nervosa hoje. Entrei num ônibus vazio, mas, diferente do meu usual comportamento, preferi me sentar ao lado de uma mulher. Ela me lançou um leve sorriso. Percebi: cinquenta e poucos anos, cabelos claros, vestido preto, colar de pérolas. Fones de ouvido. Sinatra. Minutos depois, em lindos vestidos de gala, bailávamos com nossos amores pelo mais belo salão de New York.

5 comentários:

Bernardo Guimarães disse...

Renata:
cheguei de viagem e colei no seu livro. estou encantado! literalmente encantado!...
eis a razão do post de hj. quero fazer mais nada, só me encantar.
...só me falta um sinatra ao fundo...

Álvaro Andrade disse...

Surpreendente!

Wagner Marques disse...

acordar é uma luta!

.Dazinha. disse...

simples e suave! :)

Jana disse...

Quando do lado de cá a coisa tá complicada, a gente pula para o lado de lá, onde os vestidos são lindos, a música é boa e as bebidas são geladas.

Beijoca bêibe
:)