6 de jan de 2008

Até 13 de fevereiro...


O Vestígios está fechado para balanço.

11 comentários:

Anônimo disse...

o b. deve ser de besta ou de brega.

O Sibarita disse...

Xiiiiiiiiiiii... kkkk Para balanço, foi? kkkk

Oi vou para o procon dar queixa, você não pode fechar para balanço sem que com atecedencia de no mínimo um mês avisar aos seus ávidos leitores para que eles fiquem preparados para esse momento... Acho quer você que nós seus leitores dê um piripaco, é isso, é fia? kkkkkk

Boas férias merecidas dona moça! Após o balanço, volte logo, rapidinho... kkkk

bjs
O Sibarita

Maria Muadié disse...

Feliz ano novo e até a volta.

aeronauta disse...

Não demore,tá?

Rafael Guedes disse...

Espero que aproveite o balanço para relaxar e se distrair muito, como você, com certeza, merece. Aguardo a sua volta com novos e criativos contos para continuar tendo inúmeras oportunidades para refletir sobre eles e, sempre que possível, deixar a minha humilde contribuição.

Luíza disse...

e volte cheia de histórias boas para nos contar.
Beijos

Gerana disse...

Feliz ano novo! Espero livro novo também. Tudo de bom!

Personagem Principal disse...

Não, o B. é de Buáááááááá... heheheh, volta logo, Renatilda! snif, snif...

anjobaldio disse...

Ôi Renata, dá uma olhada no vídeo TATURANAS lá no meu blog. Abração.

Rafael Guedes disse...

Fazendo uma analogia a "Vou-me embora pra Pasárgada" de Manuel Bandeira e aproveitando que o Vestígios está fechado para balanço, mas, não para analogias, criei esta humilde analogia para homenagear esta fabulosa escritora.

Espero que a homenagem esteja à altura que ela, com absoluta certeza, merece.

Vou-me embora pra Belmonte

Vou-me embora pra Belmonte
Lá sou amigo íntimo da sua mais bela e talentosa contista
Lá tenho a contista que me inspira
Criando os fabulosos contos que lerei
Vou-me embora pra Belmonte

Vou-me embora pra Belmonte
Aqui eu sou feliz
Mas, lá a existência é uma aventura
De tal modo surpreendente
Que Renata a mais bela e talentosa Contista de Belmonte
Fabulosa escritora
Vem a ser minha amiga mais íntima
De todas que já tive

E como lerei as suas fabulosas obras
Refletirei sobre os seus criativos e encantadores contos
Darei as minhas humildes contribuições
Serei um ser humano aperfeiçoado e enriquecido
Tomarei banhos de emoções!
E quando estiver com a vista cansada
Deito na beira do mar
Mando chamar a mais bela e talentosa contista
Pra me contar as histórias
Que no tempo dela menina
Fizeram dela esta fabulosa escritora
Que veio para me inspirar
Vou-me embora pra Belmonte

Em Belmonte tem tudo
É outra civilização
Tem a contista mais bela e talentosa
De merecer a concepção
Tem bibliotecas com inigualáveis obras
Tem contos à vontade
Tem escritoras tão fabulosas
Para a gente se inspirar

E quando eu estiver em Belmonte
Infinitamente feliz de não ter jeito
Quando de noite ficar insone
Vontade de ao lado dela estar

Lá sou amigo íntimo da sua mais bela e talentosa contista
Lá tenho a contista que me inspira
Criando os fabulosos contos que lerei
Vou-me embora pra Belmonte

Anônimo disse...

Renata,

você merecia uma pasárgada mais bem-escrita e inventiva...