27 de out de 2007

Esmeralda

Aos dois dias de nascida, me despejaram em seus braços. E de lá jamais saí: fui adotada para sempre por ela, ela, que durante toda a sua vida repetiu que jamais teve vontade de ter filhos.
Quando Ricardo nasceu, a tiraram do meu quarto e eu, aos quatro anos, tive a minha primeira perda. Aquele ser estranho que me obrigavam a chamar de irmão se tornou um dos maiores amores de sua vida, há algo frágil nele que a encanta terrivelmente. É certo que na sua concepção, eu, a menina que sempre foi linda, precisa menos dela do que o garoto mirrado cheio de hábitos excêntricos. Tem sido assim, desde sempre: de equívocos se preenche a história da minha vida.
Se algum dia me for possível, farei o mesmo que o João Moreira Salles: dirigirei um documentário sobre a vida da minha eterna babá. Ele se chamará Esmeralda, seu verdadeiro nome. Nome este que ela guarda como um segredo e esconde através do apelido Meire. É dura demais consigo mesma para reconhecer todo o seu valor.
Por fim, hoje, no dia de seu aniversário, mesmo sabendo que ela não lerá este texto, repito a dedicatória de Femininamente: Para minhas duas mães. Sim, o amor que sinto por ela é muito maior do que qualquer eventual dor.

13 comentários:

Luíza disse...

O Renata, q bacana.. massa o que tu escreveu..
Beijos

Álvaro disse...

que bonito.

não tive uma babá-mãe...

Personagem Principal disse...

Ohhhhhh, a famosíssima Meire!Protegia aquele doido que andava com um pedaço de pau e era apaixonado por caminhões de lixo. Ela deve ser, realmente, especial.

O Sibarita disse...

Sua menina! Tô dizendo, tô dizendo que você é uma pessoa diferenciada, o que lhe diferencia dos demais mortais são essas atitudes simples de reconhecimento e humildade, própria, das pessoas que reencarnam e são espíritos de luz que estão entre nós para nos ensinar, nos mostrar que a maior virtude do encarnado é o amor, a bondade, a compreenção e até mesmo o perdão para com o seu semelhante.

A Esmeralda que já nasceu com um nome brilhante e nada melhor do que defini-la assim, os meus PARABÉNS também!

Ô sua menina você tá assistindo Lynch aonde? Que é uma loucura em algum aspecto isso é viu fia? kkkk

bjs
O Sibarita

aeronauta disse...

Digo o mesmo, Renata: que homenagem linda!

Feminina mente disse...

Menina

Vc tem um blog pra quê? Seja um pouquinho mais criativa. Num momento vc é uma personagem de sofia copolla, em outro fica comentando o que você vê na tv (até malhação)e agora me vem com essa.
Todo blog tem a função APAGAR, faça esse bem a todos os que não te paparicam. Cresce e para de usar idéias alheias para atormentar os outros com os seus textos bregas. Tenha pelo menos uma vontade que não inveja.

Personagem Principal disse...

Nãoooo, Renatilda! Não faça isso, não! E os que te paparicam? Vão ficar desprotegidos? Nem pense nisso!

Mary disse...

Renata,
É incrível como as pessoas gastam tanto tempo e energia com a vida dos outros. Essa criatura não deveria "perder" o tempo dela navegando pelo seu blog(já que, segundo ela, é uma coisa tão abominável) e principalmente não deveria PERDER o tempo fazendo um comentário tão ridículo!!! Além de ter falado super bem sobre a "inveja", nota-se que ela é uma "expert" no assunto por essa simples atitude mesquinha.

fernanda disse...

Ô Renata,que homenagem bonita! você tambem presenteia os aniversariantes queridos com textos!?eu faço isso,hehe.Chego a ficar sem graça em comentar tantas semelhanças,mas,de fato, eu também tenho uma segunda mãe aqui,que também me trocou,desde pequena, por minhas irmãs,por me achar "filha mais velha,bem resolvida e independente".
Ê vida cheia gente equivocada ;)hehehe.
Beijos

ângela vilma disse...

Que horror, Renata, não sei como você publica mensagens como a que li há pouco. Uma homenagem tão linda, um blog tão poético só pode fazer bem à gente. Saiba que adoro seu blog. Abraços, Ângela.

Mônica Menezes disse...

Renata, te admiro tanto: pelos textos, pelo blog, pela beleza e por publicar até os comentários desagradáveis. Beijos...

aeronauta disse...

Realmente, só uma pessoa tão digna e nobre para publicar até os comentários desagradáveis...

Anônimo disse...

De invejosos os cemitérios estão cheios... Coitado deste, que vive atormentado com "com os seus textos bregas". Certamente ele não tem nada para fazer, a não ser escarafunchar os blogs ou tirar ouro do nariz. Ele (ou ela) também queria ser paparicado... Ah, infeliz!