17 de ago de 2009

Eu, que já estou tão distante...


Sempre aos domingos, naquele final melancólico da noite, tenho uma mesma vontade: deletar meu blog, tirar minhas fotografias dos porta-retratos, pintar meu cabelo, inventar um novo nome e sair por aí contando histórias que jamais aconteceram, histórias de um tempo impossível e misericordioso.

Renata Belmonte só restaria nas capas dos livros. E, não, ninguém duvidaria do que digo. No lugar onde moro, não sou conhecida e sei inventar mentiras legais, entretenho pessoas com certa facilidade, sempre fui assim.

Mas por que não faço tudo isso que planejo, por que, por quê? Toda segunda, a mesma pergunta: acordar não é um suplício? Tenho medo das vinhetas da MTV, melhor ir para a cama, perdi certas liberdades, já não tenho a desculpa de que estou "deprimida numa noite de domingo". Só que há canalhice maior do que fingir querer contar uma coisa e, logo depois, fazer cara de mistério e colocar um "to be continued" num fundo preto, com letras brancas? Não, isto aqui não é literatura, seriado ou cinema. Além disso, tenho preguiça de gente que tira foto de biquini e fala sobre passeios de lancha para parecer feliz. Pouco vou à praia e não tenho Orkut ou Facebook. E a verdade é que, nesses lugares, quase ninguém assume o que irei revelar: de vez em quando, eu encho o saco de mim.

Alguém muito chato ou resignado irá retrucar: sua vida é ótima! Se eu fosse blasé, passaria a mão nos meus cabelos loiros, faria uma cara nojenta e responderia: E o que você tem com isso? Mas, não, sou sincera e apenas confirmo: é verdade, minha vida é ótima. Mesmo assim, de vez em quando, encho o saco de mim.

Eu poderia citar milhões de motivos vazios para isso. Mas seria subestimar a inteligência de vocês. Conheço uma pessoa que terminou um relacionamento porque a companheira dirigia mal. Sério? Sou boa em inventar mentiras, mas isto é a pura verdade. E por que não pinto(de novo) o cabelo, deleto o blog e mudo de identidade? Eu até posso encher o saco de mim, mas não quero que isso aconteça com vocês. Imagina! Quero ser convidada para os encontros dos e-amigos, quero participar dos eventos, colocar aqui no blog as fotinhas... Eu não tenho Orkut ou Facebook, mas gosto dos comentários que recebo, adoro até mesmo os fantasmas que vagam mudos por essa casa.

Eu, que já estou tão distante de tudo e todos que amo, não quero ser esquecida por vocês. Não há medo mais legítimo que esse, não para um escritor. Sim, isto é uma confissão, mas eu também sou feliz sozinha. E, por favor, não levem ao pé da letra tudo o que aqui está escrito, tem dias que gosto apenas de inventar umas coisas para entreter, acho isso legal. Amanhã, quem sabe, tomo coragem e compro um vestido vintage. Helena não é um bom nome?
Simples. Simples assim.

20 comentários:

Herculano Neto disse...

Helena, Laura, Teresa, Brisa... O domingo apresenta sua mansidão desesperada.

Lidi disse...

Quando encho o saco de mim, tiro a minha foto sorridente do Orkut e coloco aquela imagem que está em seu post "Dos inventários em muros". Acho que me identifica melhor.

Quanto à possibilidade de você deletar o Vestígios, eu sentiria falta dessa casa que me acolhe tão bem, desse espaço virtual que me livra da constante sensação de deslocamento. Mas, ainda assim, você não seria esquecida.

E, sim, Helena é um bom nome.

Um beijo, Renata.

Viviane Costa disse...

Eu já enchi o saco de mim há muito tempo. Arruma um nome legal pra mim tb, que te faço companhia na Oficina de Mentiras que a gente vai ter, rs.
Se cuide, amiga!

Beijocas.

aeronauta disse...

Todos os domingos à noite sinto também esse tédio de minha existência. E acordar na segunda, ah, que preguiça de ser eu de novo, sem escapatórias...

Luli Facciolla disse...

Helena é um bom nome... Manoel Carlos adora! São sempre as suas protagonistas...
Será que é sina ser protagonista, Renatinha?!

Liga não... esses personagens que somos são todos tolos!
Bom mesmo é ser 'simples assim'!

Beijos

Marcus Gusmão disse...

Até agora penso no sujeito que abandonou Barrichella.

Andréia M. G. disse...

Renata, vê-se bem que este post foi escrito sob o efeito do domingo à noite... Vc pode ter uma vida ótima sim, mas pelo que constantemente escreve aqui, parece que falta algo, talvez um "tempero" a mais e isso faz com que vc se encha de si mesma. Também tenho momentos do que costumo chamar de inquietude na alma, mas ultimamente ando mais serena. Quando me encho de mim, costumo me "vingar" nos cabelos. Camaleoa total. Mas faz um bem... rs Tomara que vc não se "vingue" no blog... Deletá-lo seria uma perda incrível! Ah, e adoro tirar fotos em passeios, aliás eu amo tirar fotos em qualquer lugar, mas não é p/ parecer feliz (embora saiba que muita gente faça com essa finalidade). Eu me sinto feliz de verdade! Mesmo me enchendo de mim às vezes... Posso dar uma sugestão? Que tal transformar essa Helena em um novo livro?

Bj!

Renata Belmonte disse...

Andréia,
Eu sou super inquieta. É apenas isso.
Bjs!

Edu O. disse...

O melhor é essa capacidade de nos inventarmos e eu adoro isso. às vezes dou uma morridinha para voltar outro

ricardo gessner disse...

é engraçado como na maioria dos casos somos nós quem temos uma vida ótima, não os outros...
quando alguém diz isso, melhor do que perguntar "o que você tem com isso", é "como você sabe?"...
nossa vida é ótima sim, mas um ótimo feito de momentos ruins, bons, trists, felizes, etc, etc.

encher o saco de certo modo faz bem e permite um auto-conhecimento...
quanto a contar mentiras. continue... vc faz isso muito bem! me refiro a sua produção literária...

por fim, Helena é um ótmo nome.
Tróia foi destruída por causa do amor ferido e do ciúmes de dois homens. e a história contada a partir deles.
sempre fico pensando se Helena tivesse voz, o que ela diria...

bjos

Gustavo Rios disse...

Encher o saco de si próprio é condição boa para reinventar-se. É o que às vezes faço - de revoltado à pai; de cozinheiro para professor; de escritor para sujeito comum.

De outro jeito, é foda. O mundo, minha amiga Renata, não cabe na gente. E sabemos disso. Apesar de disfarçamos todo santo dia no comum do dia que começa e na postura "gente séria" em nossos trabalhos.

Nilson disse...

Tenho me observado - atenção psiquiatras - e cheguei à classificação de uma nova moléstia: a Síndrome da Insônia Dominical. E acordar segunda-feira é sempre penoso! Quanto ao nome, Renata, acho que Helena é bom. Mas, mudando ou não de nome, NÃO DELETE o Vestígios!!!!!!!

Bernardo Guimarães disse...

PRIMA: ANDO SUMIDO PORQUE ESTOU ENROLADO NO XAILE DA DOIDA!
Não, Helena não é um bom nome, Maria é o melhor de todos. Maria, a loira. A escritora Maria Belmonte. M.B. Vá se acostumando.
bjs.
PS: vem pro dia 01/09? vamos fazer uma farra!!!

Chorik disse...

Renata, eu sou um que leva ao pé da letra tudo o que você escreve, especialmente nas entrelinhas. Eu quase te entendo...rs

Helena é o nome da minha mãe. Complexo de Édipo à parte, é um ótimo nome.

Eu já deletei uma vez e voltei. O trabalho que deu para postar foi absurdo e ainda por cima perdi todos os comentários (o que somos sem eles?). Da próxima vez que der vontade de deletar não pense apenas em você, pense em nós, seus leitores fiéis. Tenho fé que sua generosidade vencerá sua angústia.

Credo, escrevi demais.

Bj

Déia Poeta disse...

.................................. Não quero ser um fantasma mudo nesta casa...

Fernando Lago disse...

Também encho o saco de mim... Acho que com mais frequência do que você...

"Tenho medo das vinhetas da MTV" hauhauhah! Eu também!

Diogo Goulart disse...

Helena não!! Por favor, Senhorita B. SIM!

Guillermo Etkin disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Aninha Souza disse...

Helena, é sim um bom nome.
Essa "casa" é tão confortável.
Ah, gosto do que você escreve.

Satyagraha with Robertinho disse...

"...de vez em quando, encho o saco de mim."

E nestes caso sendo o meu caso, quase sempre é numa desculpa que, após botá-la várias vezes para fora, bate novamente na porta, disfarçando-se numa rolpagem nova. Mas chega o momento onde a percebemos pela feição, aí é que eu encho o saco de mim.

estou gostando de lê-la e muito.