12 de ago de 2007

Tudo sobre meu pai

Certa vez, ainda na infância, minha melhor amiga me perguntou:
- Quem é o homem que você acha mais bonito no mundo?
Sem a menor dúvida, respondi:
- Meu pai.

Foi com meu pai que aprendi a importância de ser sensível às demandas dos outros. Foi vendo meu pai construir casas para seus empregados que compreendi que, enquanto ele faz isso, o universo lhe conspira castelos. Extremamente emotivo, vejo-o resolvendo todos os problemas do mundo na mesa do seu escritório. E até com suas charmosas incoerências, já me acostumei: ainda ontem, apesar de ele reclamar do tempo que gasto com meus escritos, me presenteou com um belo caderno de couro.
Todas as manhãs, quando meu pai sai para trabalhar, acho-o tão elegante que escuto Frank Sinatra cantar. E sempre desconfio: dentro de seus ternos bem-cortados deve estar escondida uma roupa azul. Com uma capa e um S em vermelho no peito.

10 comentários:

ângela vilma disse...

Lindo, Renata, senti vontade de chorar...

Luíza disse...

Bom ver que os sentimentos familiares ainda existem por aqui, leia-se:mundo.

eu gosto tanto do que tu escreve quanto do meu pai.


beijin
Lu

anjobaldio disse...

Belo demais, arrepiante. Fiquei muito feliz com o teu link. A Senhorita B já está lá no anjo baldio.Um forte abraço.

Personagem Principal disse...

Muito, muito lindo.

Manuela Magalhaes disse...

Amiga...que lindooooooo!!! Hoje estou aqui na casa de meus pais no Interior...curtindo de perto meu paizão que é exemplo de vida, de homem, de profissional...este orgulho que sentes de seu pai é muito igual ao que sinto pelo meu...somos felizardas e temos que agradecer a Deus todos os dias por eles terem nos dado todo carinho e educação, afinal somos muito parecidas no modo de ver o mundo e entender a vida!

Bjaoooooooooooooooo, vou tentar te ver esta semana! Comer umas coisinhas gostosas e fofocar!! rs

Ah! Aline do curso te adorou...falou super bem de vc...ela tb é muitooooooo legal! Aproveitem...

katherine funke disse...

faz tempo que não passo aqui, estava viajando. gostei de ler o que perdi. um abração.

aeronauta disse...

Renata, fiquei muito emocionada com esse texto seu. Além de ser admiravelmente bem escrito, toca no mais fundo de nossa alma. Parabéns.

Mayrant Gallo disse...

Grande, Renata!

O Sibarita disse...

Parabéns! Bela homenagem ao seu pai, o reconhecimento acima de tudo, é isso...

bjs
O Sibarita

Renata Belmonte disse...

Ângela: Sempre que escrevo essas coisas tb tenho vontade de chorar.Talvez seja porque não consigo dizer estas coisas... Tudo de bom para você!
Mayrant: Sua visita é sempre um prazer! Muito obrigada!Mesmo!

Abraços,
Renata