7 de ago de 2007

Quando o circo se foi...



" Quando criança, achava que sendo boa, apenas coisas boas lhe aconteceriam."

(Frase do meu conto Quando o circo se foi. Lógica do meu livro O que não pode ser. E de toda a minha vida.)

11 comentários:

ediney disse...

ontem tudo era só fé,fé de criança...ainda bem quem há o tempo que nos faz crescer.

O Sibarita disse...

Olá! Pois é sua menina, bom tempo aquele de criança, não?

A inocência desfraldada no que há de mais puro... A criança!

abraços,
O Sibarita

Luíza disse...

Se a bondade das crianças durasse o bastante para nos fazer felizes...

Entre aspas disse...

Minha infância no circo que se foi...
E eu rolando na lona da saudade.

Renata , um abraço de Georgio Silva.

Nara Senna disse...

Olá, Renata. Chamou-me muito a atenção as formas de utilizar as pelavras em prol de sentimentos.
Que legal poder compartilhar dos seus pensamentos.
Bj

Arte de um Sonhador disse...

Este momento puro, pueril que vivemos por um bom tempo acaba...pq não há mais fadas, papai noel? Pq é preciso passarmos esta fantasia para nossos futuros filhos e netos.Mas é muito nem que seja por 1 minuto, vivermos um pouco do ontem.Do ontem puro!
Parabéns pelo blog!
Aproveitando a oportunidade eu a conheci pela primeira vez no programa Sem Censura acho que foi no mês de junho e fiquei simplesmente encantado pelo seu jeito de ser e de expressar.Continue assim!

Personagem Principal disse...

Eu tb pensava assim... aprendi em casa e com os padres da escola. Mas ainda tenho minhas dúvidas quanto ao repasse dessa cultura a Júlia. O que vc acha?

Manuela Magalhaes disse...

Oi amiga...

Esta sua reflexão é tão verdadeira...e tão pura!!! Talvez algumas pessoas ainda achem, mesmo depois de crescidas, que isso realmente aconteça...esta semana tive a certeza que não é bem assim...Perdi um amigo e além de doer muito, vi que não só basta fazer coisas boas, como ele fez, mas temos que viver nossos dias como se fosse o último, dar valor aos que estão ao nosso redor e finalmente...quando acontecer algo de ruim...estarmos preparados, firmes e convictos, que, de alguma forma fomos felizes e verdadeiros em muitos momentos!! Que venha a vida...e que a criança que temos dentro de nós não morra junto com a esperança de dias melhores!

bjaoooooooooooo, Manu

Anônimo disse...

Uma merda, por sinal.

Anônimo disse...

Quero ver você aprovar.

Lidi disse...

É, Renata, e não nos enganamos apenas quando criança não. Aqui estou eu, iludida, achando que posso ficar horas e horas apenas lendo e comentando no teu blog, sem ir cuidar da vida. (rs) Tenho que sair da Internet agora, mas se pudesse ficaria aqui por um tempo sem data! (rs) Parabéns por escrever tão bem! Quando eu crescer, quero ser igual a você! (rs) Beijo.